Embrião de rato com 6 pernas e nenhum genital é criado por acaso

HomeÚltimas Notícias

Embrião de rato com 6 pernas e nenhum genital é criado por acaso

Cientistas criaram um bizarro espécime de rato com membros no lugar dos genitais, tudo em nome da genética

Um estranho embrião de rato com membros extras no lugar dos genitais foi concebido pela ciência. Além dessa bizarra configuração corpórea, o animal ainda possui outras peculiaridades, como órgãos alocados na parte externa do corpo. Mas, o bicho não foi criado intencionalmente: ele é um resultado de um teste que mostra como pequenas variações genéticas podem afetar o desenvolvimento embrionário.



Foto: Joshua J. Cotten/Unsplash / Canaltech

O experimento partiu da ideia de Moisés Mallo, especialista em biologia molecular, de estudar a expressão da proteína Tgfbr1 (receptor beta do fator de crescimento transformador tipo 1). Trata-se de uma proteína receptora indispensável no desenvolvimento embrionário. Ele e sua equipe decidiram inativá-la na metade do processo de gestação, a fim de investigar o que aconteceria com a medula espinhal do animal. 

Porém, ao invés de encontrar alterações na medula, a equipe se deparou com anomalias grotescas na conformação corpórea do embrião, o que lhe resultou em um par extra de membros, nenhum genital e reposicionamento de vários órgãos internos para fora do corpo.

Aliás, esse par de membros ocupou o lugar onde deveriam se desenvolver os genitais do roedor, deixando o rato com um aspecto bizarro, como mostra a figura abaixo:




Caption

Fases do desenvolvimento embrionário

O processo de desenvolvimento de um embrião, seja de qual espécie for, é dividido por etapas. São as chamadas fases, que começam a partir da cabeça e terminam na porção caudal, isto é, na região da cauda. 

Existem duas transições cruciais no desenvolvimento: a que ocorre da cabeça para o tronco e a que continua do tronco para a cauda. É nessa última fase que acontece uma reconfiguração significativa de várias estruturas importantes, incluindo órgãos abdominais e genitais.



Desenvolvimento embrionário normal de um camundongo (Imagem: Jacob Hanna/Weizmann Institute of Science)

Desenvolvimento embrionário normal de um camundongo (Imagem: Jacob Hanna/Weizmann Institute of Science)

Foto: Canaltech

O gene escolhido como variável em análise nessa pesquisa desempenha uma função crítica exatamente no momento da segunda transição, sendo também responsável pela formação dos membros posteriores (pernas) e genitália externa. Na maioria dos animais de quatro patas, tanto membros posteriores quanto genitais se desenvolvem a partir das mesmas estruturas embrionárias.

O fenômeno de seis pernas

O que aconteceu no experimento, afinal? Segundo Mallo, a proteína Tgfbr1 dita onde serão originados genitais e pernas do rato. Para tanto, ela altera a maneira que o DNA se dobra dentro das células, e quando a proteína é desativada, modifica a expressão de outros genes

“Nosso trabalho revela uma notável plasticidade tecidual com implicações potenciais na evolução dos membros posteriores/área genital dos tetrápodes [vertebrados de quatro membros], e identifica um mecanismo adicional para a atividade do Tgfbr1, que também pode contribuir para o controle de outros processos fisiológicos ou patológicos”, concluem os autores do estudo.

Fonte: Nature

Trending no Canaltech:

Fonte: clique aqui.

Você gostou desse conteúdo? Compartilhe!

COMMENTS