HomeSalvador

Operação Chuva: Abrigos dão assistência emergencial a moradores de áreas de risco de Salvador

Foto: Ascom/Sempre PMS

Dentro da Operação Chuva, a Prefeitura de Salvador monta uma força-tarefa para prestar acolhimento e todo o apoio necessário às famílias desalojadas ou desabrigadas em casos de emergência. No início deste mês de abril, por exemplo, foram disponibilizadas 13 escolas para abrigamento nos bairros de Calabetão, São Caetano, Capelinha, Liberdade, Lobato, Cajazeiras VII, Cajazeiras VIII, Sete de Abril, Pau da Lima, Alto da Terezinha e Castelo Branco, durante as fortes chuvas que atingiram a cidade.

Nas unidades de ensino, mobilizadas pela Secretaria Municipal da Educação (Smed), moradores que precisaram deixar suas casas por conta do risco de desabamento encontraram alojamento imediato, em condições de salubridade, dignas e de segurança, para repouso e restabelecimento pessoal. No ato do acolhimento é disponibilizada a alimentação, kit de limpeza, kit de higiene pessoal e kit dormitório.

As famílias têm acesso a colchões, lençóis, café da manhã, almoço e janta. Além disso, os técnicos da Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre) realizam escuta, orientação e encaminhamentos para a rede de serviços locais, bem como orientação sociofamiliar e encaminhamento para os serviços socioassistenciais.

As ações são realizadas pelo Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil de Salvador, planejado para atuar na prevenção de desastres e dar todo o suporte às pessoas que vivem em áreas de risco da cidade. “Com certeza a Prefeitura de Salvador está toda mobilizada para ofertar acolhimento com toda atenção, com todo carinho, durante 24 horas, para que as pessoas estejam acolhidas e em segurança. Além disso, também já fazemos o encaminhamento psicossocial com toda a oferta de benefícios, seja o aluguel social, seja o auxílio emergencial. A nossa orientação é que as pessoas saiam da situação de risco, porque a vida não tem preço”, enfatiza o titular da Sempre, Júnior Magalhães.

Ao todo, 126 pessoas já foram acolhidas este ano em unidades de acolhimento provisório montadas nas escolas municipais para adultos e famílias desalojadas ou desabrigadas em decorrência da chuva. O diretor de Promoção Social da Sempre, Marcílio Bastos, lembra que a Defesa Civil de Salvador (Codesal) tem feito um mapeamento das áreas de risco da capital e levado treinamentos, por meio dos Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil (Nupdec) e do Programa Mobiliza Defesa Civil, ações que facilitam a conscientização dos moradores e o abrigamento.

“As pessoas que vão para os abrigos passam pela avaliação da Codesal para que sejam encaminhadas e possam receber benefícios. A gente sabe que em 2015 e também alguns anos anteriores foram muito difíceis para as localidades de risco, mas agora Salvador está com outra estrutura, outra envergadura, dando acolhimento e acompanhamento à população. Muitas obras de contenção e prevenção foram realizadas e, nesse momento, o nosso principal objetivo é a preservação da vida”, afirma Bastos.

Prevenção – A Codesal atua em regime de plantão por 24 horas, monitora encostas e áreas alagáveis da cidade, mantém o Centro de Monitoramento de Alerta e Alarme da Defesa Civil de Salvador (Cemadec) e também um Sistema de Alerta e Alarme em áreas de risco. O órgão ainda desenvolve ações nas comunidades, visando informar, conscientizar e mobilizar a população da cidade em geral, mas especialmente aquela residente nas áreas de risco. A orientação é que os moradores deixem as suas residências quando houver acionamento da sirene, nos bairros que contam com Sistema de Alerta e Alarme.

As solicitações podem ser feitas gratuitamente à Codesal por meio do telefone 199. A população também pode receber alertas por meio do celular. Para isso, é necessário enviar um SMS para o número 40199 e informar o número do CEP. Após esse procedimento, o cidadão passa a receber os boletins de alerta da Defesa Civil. O serviço é gratuito.

Reportagem: Priscila Machado/Secom PMS

COMMENTS